” Pouco menos de dois anos separam a criação da CATI e o surgimento do Instituto de Pesca (IP). Instituições que ao longo de décadas firmaram uma parceria importante para o setor da aquicultura paulista.

Se de dentro dos laboratórios do IP saíram tecnologias que hoje permitem o aumento de produtividade para o setor de pescados, o trabalho dos extensionistas da CATI foi fundamental para que as informações ultrapassassem as paredes dos laboratórios e chegassem até os aquicultores paulistas.

Ao longo desses anos foram os vários trabalhos que as duas instituições realizaram em conjunto, seja diretamente junto ao produtor ou em publicações diversas como, por exemplo, o Manual Técnico de Piscicultura escrito por pesquisadores ligados à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) e publicado pela CATI.

Por isso, o desejo que nos move é que essa parceria – que já dura quase meio século – possa ser ainda mais aprofundada. Assim, continuaremos contribuindo para que a piscicultura se desenvolva em águas paulistas e se torne uma fonte de renda para aqueles que a ela se dediquem” . Luiz Marques da Silva Ayroza, diretor técnico de departamento – Instituto de Pesca